Blog   Facebook   Convenios   Links Uteis   Localizacao   Contato   Inicio  
                     
     
               
                       
        Clinica IACVC      
                       
Quando uma pessoa apresenta Pé Diabético?

Quando um paciente apresenta Diabetes há um longo tempo, desenvolve uma perda da sensibilidade dos pés chamada de Neuropatia. Isso faz com que apareçam lesões e feridas nos pés e uma maior probabilidade de desenvolver infecções. Em alguns casos pode ocorrer piora da circulação e até mesmo deformidade das estruturas ósseas no interior do pé, sendo uma das principais causas de amputações de pé.
 
       
   
         
 
O paciente com pé diabético apresenta geralmente um espessamento da pele na planta do pé chamada de Hiperceratose. É nesse local que está mais propenso a desenvolver o Mal Perfurante Plantar, que é uma úlcera na parte inferior do pé.
 
         
Diagnóstico
 
TratamentodoPeDiabetico
 
     

Qual a causa do Pé Diabético?

O nível elevado de açúcar no sangue pode afetar nervos e a circulação sanguínea das pernas. A lesão dos nervos pode causar formigamentos, agulhadas, queimação e até insensibilidade dos pés. Pela perda da sensibilidade, o diabético não sente as lesões e machucados nos pés e podem levar a infecções graves.

O diagnóstico é feito através do exame clínico realizado pelo seu médico Endocrinologista ou Angiologista e Cirurgião Vascular.
Qual a classificação do Pé Diabético?

Uma das classificações mais usadas é a de Wagner, que vai de 0 a 5, sendo 0 sem qualquer lesão até o nível 5 com necrose de boa parte do pé.
O que é o Pé de Charcot?
  pe diabetico  
É um quadro avançado de pé diabético e ocorre quando existe um desabamento do pé e uma perda da anatomia normal do pé. Já existem deformidades ósseas e é necessário o uso de calçados especiais para o paciente poder caminhar sem o risco de uma piora da função do pé.
 
   
   
pe de charcot
 

Como é Tratamento do Pé Diabético?

No tratamento do pé diabético, é fundamental considerar sempre esses pacientes como casos graves, pois podem piorar rapidamente e um atraso pode significar amputação de dedos e parte do pé.  É necessário o controle rigoroso da glicemia através da dieta, de insulina ou hipoglicemiantes orais.

 
       
 

Examine seu pé diariamente e principalmente entre
os dedos para evitar feridas e pequenas lesões.

 
       
 
Seque bem os pés sem o uso de secadores e corte as unhas com freqüência e com muito cuidado.
 
       
 
Evite colocar calor local, como bolsas de água quente, saunas e secadores.
   
       
 
Faça um exame diário dos sapatos, evitando corpos estranhos soltos no interior deles.
   
       
 

Nunca ande descalço ou com chinelos abertos (Havaianas) mesmo em casa.

   
       
Não tente remover calos ou verrugas sozinho ou com pedicures sem treinamento.
 

Hidrate seus pés diariamente com cremes ou loções hidratantes.

 
             
           
Na presença de infecções, o uso de antibióticos é sempre realizado e geralmente por um período de 10 a 14 dias dependendo da gravidade do caso. Em casos mais avançados pode ser necessário internamento hospitalar para serem administrados antibióticos endovenosos mais potentes. 
Em alguns casos são necessários desbridamentos cirúrgicos ou amputações para eliminar a infecção.

Em casos de falta de circulação, deve-se fazer a revascularização através de angioplastias ou cirurgias para melhorar a cicatrização das feridas.
 
     
  Blog   Blog   Blog   Blog   Blog   Blog   Blog